6 de abr de 2015

Alma Gêmea


"No nosso universo físico, tudo precisa de um complemento para poder manifestar algum tipo de ação, ou de criação, como os dois pólos de uma tomada para manifestar a luz, a semente e a terra para haver a germinação e assim por diante. O ser humano é um ser dividido, procurando seu complemento, embora possua em si mesmo sua outra parte, seu oposto complementar, pois o ser interior, aquele ser imortal e divino, é polarizado. Este não precisa de alma gêmea. O que leva o ser humano à necessidade da busca da alma gêmea é a própria elevação espiritual. Porque, na verdade, o que é crescimento interior? Crescer interiormente significa levar o foco da consciência cada vez mais para dentro de si mesmo. À medida que isto acontece, a consciência vai se expandindo, porque vai se harmonizando com novas gamas de frequências vibratórias enquanto vai chegando mais perto de seu próprio conteúdo divino. E vem então a ânsia da busca da alma gêmea, isto é, do equilíbrio vibratório que fará com que possa se harmonizar com as gamas de freqüência mais sutis do cosmos, nas quais não existe mais a dualidade na manifestação. As frequências cósmicas são polarizadas e, para interagir com elas, a consciência humana precisa também estar polarizada e é essa necessidade que faz com que busque sem cessar o seu oposto complementar, sua alma gêmea. Quando o foco da consciência atinge, por fim, seu real núcleo interior e divino, cessa a busca da alma gêmea. Ela foi encontrada, enfim, em si mesmo e a pessoa pode se harmonizar com as vibrações mais sutis do cosmo, sem precisar para isto de um equilíbrio através de um complemento fora de si. Ela encontrou o ser total que habita nas profundezas de seu próprio interior e que, como ser polarizado que é, pode finalmente realizar a meta final da Criação: o encontro consciente do Homem com o Todo."

Autor: Márcia Villas-Bôas
Postada em: 17/12/2012